18/12/18

Gatos no Egito Antigo: a triste verdade por trás da adoração divina

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em novembro de 2018, arqueólogos descobriram uma tumba no Egito contendo dezenas de gatos mumificados. Os humanos que viviam no Egito Antigo adoravam tanto os gatos que os mumificavam e ainda traziam suas múmias para suas tumbas.

Como era a vida dos gatos? Fizemos um resumo para você:

Quais foram as características que fizeram com que os gatos fossem adorados no Egito Antigo?

Os humanos que viveram no Egito Antigo apreciavam as habilidades do gato de caçar, defender seu território, proteger seus filhotes, entre muitas outras. Eles eram tão fascinados por essas características dos felinos que as atribuíram à divindade chamada Bastet (ou Bast), representada por uma imagem híbrida possuindo cabeça de gato e corpo humano.

Os gatos eram adorados e então tratados como deuses?

Adorar um animal não necessariamente implica que este viva ou viveu em boas condições. Atribuições de características de animais às divindades não indicam que o bem-estar daqueles animais eram levados em conta. Muitos dos gatos no Egito Antigo, assim como outros animais, eram criados em grande número pelas pessoas para sustentar a comercialização de múmias de animais que eram oferecidas às divindades ou enterradas juntamente com humanos.

Esses gatos destinados à produção de múmias morriam naturalmente?

Alguns dos gatos mais sortudos, sim. Mas a história não era a mesma para todos! Em 1880, foi descoberto um local no Egito contendo aproximadamente 180.000 gatos mumificados. Muito provavelmente, nem todos esses gatos morreram naturalmente. Ou seja, gatos eram criados e mortos para produzir múmias!

O que aconteceu com essas 180.000 múmias de gatos?

Elas foram vendidas para o Reino Unido, sendo que boa parte delas virou fertilizante e algumas foram vendidas em leilões na cidade de Liverpool.

Como os gatos eram geralmente mortos para a produção de múmias?

Acredita-se que eles eram mortos por estrangulamento ou ruptura das estruturas do pescoço. Muitos eram mortos ainda filhotes.

O que isso pode nos esclarecer?

Muitos de nós preferimos romantizar parte da história de nossos ancestrais e achar que os animais eram realmente tratados como deuses. Temos muito o que aprender com a História e devemos refletir sobre como, ainda hoje, nós “mumificamos” nossos adorados animais.

Texto: Isabelle Tancioni

Referências:

https://www.livescience.com/64068-cat-mummies-ancient-egyptian-pyramid.html

https://www.washingtonpost.com/world/2018/11/11/archaeologists-have-discovered-dozens-cat-mummies-an-ancient-egyptian-tomb/

https://en.wikipedia.org/wiki/Animal_mummy

https://www.npr.org/2017/12/20/570591294/no-kitten-around-museum-exhibit-celebrates-divine-felines

https://www.smithsonianmag.com/smart-news/tomb-full-cats-and-scarab-found-egypt-180970786/

https://www.history.com/news/scientists-reveal-inside-story-of-ancient-egyptian-animal-mummies

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Cats_in_ancient_Egypt

http://www.strangehistory.net/2013/12/18/tens-of-thousands-of-egyptian-mummies-in-english-soil/


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •